A Tediosa Desventura Sucedida a Fiódor Stelaudi, na Cidade, Durante o Inverno

por princípio, tomado de tal ócio

que todos os edifícios se ergueram como caleidos enfurecidos
deparei-me com o deserto vertical e sussurrei às estrelas que não via
"pudesse subl ir, mar... já basta de flamar pelos flanos..."

pichei sobre os cartazes do parte ido:
o picho é outra cam(inh)ada
dobra
ao mesmo tempo depois e primeiro

pelas f*restas
a vi me olhando olhá-la
o vi vendo-me vê-lo ver-me

longo silêncio se nos abateu e
sutis danças distenderam as âmicas
movia meu corpo não por títere
mas sulco e densidade

digo-lhe: nada, absorto sorriso de cílios
paraliso meu corpo na postura dos homens humanos
e após longo silêncio entre nós
diz-me a lua:
... ... ... : ... ... ... ...
desçamos ainda mais alto na altura das corujas que caçam getos e astos
cantemos sob os sulcos dos raios dos lábios
... ... ... se calou e só pude ouvê-la no brilho
dos olhos que miravam acima
... ... raros ...
refletir,
refletir
como espelha nua
gente foi feita a refletir
eis o meu mantra
o meu e o da lua
e nada de pierrôs, bandeiras ou lanças fincadas
pelos corações dos dragões que são princesas

2 comentários:

f? ribeiro! disse...

quando mêcanico de conchas não confundi búzios com caracóis

f? ribeiro! disse...

há uma baleia na lua em noites claras(em claro)
nas ondas aves